A canção “Parabolicamará” de Gilberto Gil, lançada em 1991, é uma obra poética que, mesmo após décadas, continua extremamente relevante ao refletirmos sobre o impacto das novas formas de comunicação na era das redes sociais. A letra da música captura a transformação da percepção do mundo com a chegada da tecnologia e a evolução dos meios de comunicação. Vamos explorar como os versos de Gilberto Gil dialogam com o atual contexto das redes sociais e o poder das conexões digitais.

A Revolução das Antenas

“Antes mundo era pequeno / Porque Terra era grande / Hoje mundo é muito grande / Porque Terra é pequena / Do tamanho da antena / Parabolicamará.”

Nestes versos, Gilberto Gil resume a transformação da percepção espacial e temporal proporcionada pela tecnologia. Antes da internet e das redes sociais, o mundo parecia vasto e as distâncias entre as pessoas significativas. No entanto, com o advento das antenas parabólicas e, posteriormente, da internet, a Terra tornou-se pequena, comprimida pela capacidade de comunicação instantânea e global.

Redes Sociais: A Nova Parabolicamará

As redes sociais são a personificação moderna da “Parabolicamará” de Gilberto Gil. Plataformas como Facebook, Twitter, Instagram e TikTok reduziram ainda mais as distâncias, permitindo que informações, culturas e pessoas se conectem de maneira quase instantânea, independentemente de onde estejam no mundo. A “antena” de Gil simboliza essa conexão global, onde o fluxo de informações e a interação social transcendem fronteiras geográficas.

O Impacto da Conexão Instantânea

Vivemos em uma era onde o conceito de comunidade foi amplificado. Comunidades online se formam em torno de interesses comuns, causas sociais e até mesmo fandoms, quebrando barreiras que antes limitavam a interação a um espaço físico. As redes sociais possibilitaram movimentos globais, campanhas virais e a disseminação rápida de informações e notícias, muitas vezes superando os meios de comunicação tradicionais em termos de velocidade e alcance.

A Dualidade da Comunicação Digital

No entanto, a letra de Gilberto Gil também nos leva a refletir sobre a dualidade dessa transformação. Embora as redes sociais tenham encurtado distâncias e ampliado o acesso à informação, elas também trouxeram novos desafios, como a desinformação, a superficialidade nas relações e a polarização social. A “Parabolicamará” moderna é uma faca de dois gumes: enquanto conecta, também pode isolar, criando bolhas informativas e ecoando opiniões similares.

A Continuidade da Transformação

Gilberto Gil capturou um momento crucial de transição tecnológica, e suas palavras ecoam com ainda mais força hoje. À medida que avançamos, as redes sociais continuam a evoluir, integrando novas tecnologias como inteligência artificial e realidade aumentada, que prometem transformar ainda mais a maneira como nos comunicamos e percebemos o mundo.

Em conclusão, “Parabolicamará” não é apenas uma canção sobre uma mudança tecnológica específica, mas um hino à natureza dinâmica da comunicação humana. À medida que nos adaptamos às novas formas de interação proporcionadas pelas redes sociais, continuamos a viver e moldar o mundo através das nossas “antenas” modernas, conectando e desconectando, num ciclo contínuo de evolução.


Por meio de “Parabolicamará”, Gilberto Gil nos proporciona uma lente poética para entender a complexidade e a beleza das mudanças na comunicação. Em um mundo onde a Terra se tornou pequena, mas o universo de conexões se expandiu imensuravelmente, a música de Gil ressoa como uma reflexão atemporal sobre o poder e o impacto da comunicação tecnológica.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Close
Sign in
Close
Cart (0)

No products in the cart. No products in the cart.



Currency